Sexta-feira, 18 de Agosto de 2006

Pureza do interior

 

João ansiava pelo regresso a casa para tentar aproximar-se de Lurdes. Chegada a segunda de manhã arriscou falar-lhe. Era uma oportunidade única quando a surpreendeu na Praça. Com muita atrapalhação à mistura lá lhe saíram umas poucas palavras mas consequentes: - Olá menina Lurdes! Dizia ele com a face vermelha de timidez. - Hoje podiamos ir a um cinema? Ela, delicadamente, por receio dos pais e por não saber mentir, rejeitou o convite que tanto esperava. - Os meus pais não iriam aceitar. Responde ela com uma mistura de frustração e impotência. João não insiste e segura-lhe na mão com ternura. O enlevo era cada vez mais impossivel de conter e o rosado das faces jovens reflecte uma palpitação perigosamente cavalgante de dois corações apaixonados. Ele não encara esta desilusão como uma derrota, mas antes como um passo importante. Finalmente soltou-se e teve a coragem para não deixar fugir quem preenche os seus pensamentos e sonhos. Podia ser que da próxima vez conseguisse. O mais difícil foi feito, sentia o ego elevado com motivação acrescida para conquistar alguém que também já não o esquecia por algum instante.

Lurdes regressa sem arrependimento mas com uma ligeira frustração por não arriscar a ser uma vez na vida rebelde; temia a mãe e principalmente o pai que ostentando uma proeminente facha de pêlos entre o nariz e o lábio superior punha em sentido a familia. Porém, a certeza que João a convidaria novamente era já inabalável, iriam encontrar-se e o risco é justificável e aceitá-lo-á porque é chegada a hora de exprimir, sentir e fazer sentir aquilo cujo nome ainda não foi pronunciado e que se adivinha...  

publicado por jaimepedrosa às 00:10
link do post | comentar | favorito
|
3 comentários:
De brmf a 18 de Agosto de 2006 às 15:28
És um fenómeno: "o pai que ostentando uma proeminente facha de pêlos entre o nariz e o lábio superior punha em sentido a familia"

Um B, um verdadeiro B.
De JoaquimAmândio Santos a 21 de Agosto de 2006 às 15:42
Em jeito de confissão assumida de forma ufana, digo-lhe que é em crescendo que o seu conto assume interesse na minha leitura.
Escrita cuidada, carregada de estilo nunca exagerado, nem arrogância bacoca.
Extremamente satisfatório e exigindo que o seu desenrolar não conheça a funesta companhia da interrupção!

Um forte abraço,
JAS
De jaimepedrosa a 22 de Agosto de 2006 às 16:27
Mesmo tendo de me preparar para os exames que se avizinham na Ordem, espero, na medida do possivel, dar seguimento à escrita.

Fico feliz pelo comentário!

Um abraço!

Jaime Pedrosa

Comentar post

.mais sobre mim

.pesquisar

.Junho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
28
29
30

.posts recentes

. ...

. Predestinação

. Uma vida nova...

. Uma vida nova...

. Uma vida nova...

. Uma vida nova...

. Uma vida nova...

. Uma vida nova...

. Uma vida nova...

. Uma vida nova...

.arquivos

. Junho 2009

. Julho 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Outubro 2006

. Setembro 2006

. Agosto 2006

. Julho 2006

. Junho 2006

. Maio 2006

. Abril 2006

. Março 2006

.tags

. todas as tags

.links

blogs SAPO

.subscrever feeds